Anúncio
Saúde

Risco de morte súbita para bebê aumenta se grávida fuma e bebe

Pesquisa verificou que filhos de mulheres que não abandonaram vícios durante a gestação tinham 12 vezes mais chances de falecerem no 1º ano

23/01/2020 06h49
Por: Redacao
83

Uma pesquisa feita no Avera Health Center for Pediatric & Community Research, dos Estados Unidos, mostrou que a morte de recém-nascidos pela chamada síndrome da morte súbita infantil (SMSL) é 12 vezes mais comum em bebês que são filhos de mães que beberam e fumaram nos três primeiros meses de gravidez. Os pesquisadores acompanharam 12 mil grávidas moradoras dos Estados Unidos e da África do Sul. Nesse universo, 66 perderam bebês no primeiro ano de vida: sendo que 28 mortes foram causadas pela síndrome e 38 por motivos ainda não esclarecidos. O autor do trabalho, Amy Elliot, afirma que tanto as exposições ao álcool e ao tabaco, mesmo que aconteçam dentro do útero e apenas no início da gestação, elevam substancialmente o risco de morte súbita entre os recém-nascidos. A recomendação é que se pensem em políticas públicas para que as mulheres planejem engravidar e abandonem hábitos ruins, se esse for o caso. Os resultados mostraram risco cinco vezes maior para crianças cujas mães abandonaram o álcool mas continuaram fumando no primeiro trimestre de gravidez quando comparados aos recém-nascidos cujas mães não tinham vícios. Já na situação contrária, quando as mães deixaram de fumar mas continuaram bebendo durante os três primeiros meses de gravidez, o risco foi quatro vezes maior. A “morte do berço“, como a síndrome também é conhecida, caracteriza-se por uma morte repentina sem explicação mesmo depois da autópsia, que pode acontecer no primeiro ano de vida. No Brasil, não existem estatísticas oficiais sobre a incidência, no entanto, nos Estados Unidos, ela representa a terceira causa de mortalidade infantil. Múltiplas hipóteses foram propostas para explicar a morte súbita infantil, e a exposição ao fumo já é um conhecido fator de risco. O trabalho apresentado é o primeiro, entretanto, a analisar os perigos da exposição ainda no útero. Para prevenir a morte súbita infantil, algumas indicações são: não expor as crianças ao fumo; não colocá-las para compartilhar a mesma cama com os pais; durante o sono, usar uma superfície firme para apoiar o bebê; nunca utilizar cobertores, travesseiros e almofadas no berço, e, se possível,promover o aleitamento materno exclusivo nos seis primeiros meses de vida.

 

 

Com Metrópoles

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários