Anúncio
Homicídio

Após três anos, polícia conclui que maquiadora foi morta por noivo em cachoeira em MG

Na época, suspeito disse que casal estava fazendo fotos quando ele escorregou e ela teria tentado ajudar. Polícia não encontrou selfies no celular e homem foi preso nesta quarta-feira em Poços de Caldas.

24/01/2020 07h06
Por: Redacao
172

Após três anos, a Polícia Civil concluiu que a maquiadora Daniele Aparecida Capelari Plachi, de 33 anos, foi morta pelo então noivo, Cássio Ribeiro, em uma cachoeira de Bandeira do Sul (MG). O caso aconteceu em novembro de 2016 e era investigado desde então, até que o inquérito foi concluído como feminicídio com qualificação por afogamento. O suspeito foi preso nesta quarta-feira (22). Cássio e Daniele, que eram de Poços de Caldas (MG), estavam a passeio na cidade quando ela se afogou. Na época, o noivo chegou a dizer que ele escorregou primeiro e que quando conseguiu sair de dentro da água, a noiva já havia desaparecido na cachoeira. Ele também disse acreditar que ela teria tentado salva-lo quando foi levada pela correnteza. O corpo de Daniele só foi encontrado no dia seguinte, após buscas realizadas pelo Corpo de Bombeiros. O irmão da vítima, no entanto, contestou a versão e disse que ela não sabia nada e que poderia ter escorregado em vez de entrar propositalmente na água.

 
Daniele e o noivo apareciam em diversas fotos nas redes sociais — Foto: Reprodução/Redes SociaisDaniele e o noivo apareciam em diversas fotos nas redes sociais — Foto: Reprodução/Redes Sociais

Daniele e o noivo apareciam em diversas fotos nas redes sociais — Foto: Reprodução/Redes Sociais

Investigações

 

Na época, o noivo disse também que eles tinham feito duas selfies no celular momentos antes dela cair e ser levada pela água. O aparelho também ficou molhado e foi levado para perícia, para que a polícia pudesse tentar recuperar as imagens para análise. Agora, segundo o delegado Tales de Souza Moreira, a perícia e a equipe responsável pela investigação, "por meio dos elementos obtidos, incluindo diversos depoimentos, laudos periciais e reconstituição dos fatos", conseguiu apontar contradições nos relatos e depoimentos do noivo. Segundo nota divulgada pela polícia, a investigação mostrou que o relacionamento dos dois "era conturbado e que o investigado seria ciumento e possessivo". "Além disso, o celular da vítima foi periciado no Instituto de Criminalística da PCMG (Polícia Civil de Minas Gerais) e não foram encontradas 'selfies' do casal, como alegado pelo investigado. Diversas outras contradições levaram à conclusão pelo homicídio e não apenas um acidente", afirmou o delegado.

 
Corpo de Daniele só foi encontrado no dia seguinte — Foto: Marcos Côrrea e Reprodução Redes SociaisCorpo de Daniele só foi encontrado no dia seguinte — Foto: Marcos Côrrea e Reprodução Redes Sociais

Corpo de Daniele só foi encontrado no dia seguinte — Foto: Marcos Côrrea e Reprodução Redes Sociais

 

Indiciamento

 

Com o inquérito finalizado, Cássio Ribeiro foi indiciado por feminicídio, qualificado pelo afogamento. O suspeito foi localizado e preso em um bar em Poços de Caldas nesta quarta-feira e depois levado para o presídio da cidade. O processo foi encaminhado à Justiça. O G1 tenta contato com a defesa de Cássio Ribeiro, mas até esta publicação não havia obtido retorno.

 

Polícia concluiu que maquiadora foi morta pelo noivo — Foto: Reprodução EPTVPolícia concluiu que maquiadora foi morta pelo noivo — Foto: Reprodução EPTV

Polícia concluiu que maquiadora foi morta pelo noivo — Foto: Reprodução EPTV

 

 

 

G1 Sul de Minas

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários