Anúncio
Homicídio

Porto Alegre: HOMEM QUE MATOU O PRÓPRIO FILHO DE 3 ANOS USANDO FACÃO, FOI PRESO

Áudios encaminhados por Rosa a família dão conta de que ele teria assassinado a criança por “ter cansado de ser traído por sua companheira

17/03/2020 07h16
Por: Redacao

O homem que confessou ter assassinado o próprio filho de três anos de idade foi preso no início da tarde deste domingo(15) em Porto Alegre. Policiais da 4ª Delegacia de Polícia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), coordenados pelo delegado Rodrigo Pohlmann Garcia, cumpriram o mandado de prisão preventiva de Leandro Santos da Rosa na rua 24 de maio, no Centro Histórico. De acordo com a Polícia Civil, ele matou o filho com golpes de facão no pescoço no último dia 12, na residência da família, no bairro Lami. Áudios encaminhados por Rosa a família dão conta de que ele teria assassinado a criança por “ter cansado de ser traído por sua companheira”. Conforme a Polícia Civil, após a morte do menino, o homem se refugiou em um mato próximo às guaritas de salva-vidas na beira do rio até este domingo, quando pegou dinheiro emprestado com um morador, pegou um ônibus e se dirigiu até o endereço na área central da cidade, onde foi preso. Na sexta-feira passada, Brigada Militar, Polícia Civil, Instituto-Geral de Perícias e Corpo de Bombeiros Militar chegaram a fazer buscas na região do Lami após serem chamados com a informação de que um corpo estaria boiando nas águas do Guaíba. No local da prisão, os policiais encontraram uma seringa medicamento utilizado como calmante. Uma possibilidade é que a substância tenha sido utilizada para dopar o menino antes da execução do crime.

O assassino do próprio filho Leandro Santos da Rosa

 

 

 

 

 

Com De OLHO nas Noticias (RS)

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários