Anúncio
Doação

Família Menin (da MRV e do Banco Inter) doa R$ 10 milhões para compra de respiradores em Minas

“Temos feito várias doações desde que começou a crise, mas agora temos de incrementar. (…) Não vamos parar por aí”, destacou Menin

22/03/2020 21h58
Por: Redacao
Léo Drumond/Nitro/MRV/Divulgação
Léo Drumond/Nitro/MRV/Divulgação

O empresário mineiro Rubens Menin anunciou, na noite deste domingo (22), a doação de R$ 10 milhões para a compra de respiradores em Minas Gerais. O valor será disponibilizado por meio da mobilização dos negócios da família que administra a MRV Engenharia, o Banco Inter e a LOG Commercial Properties.

“Temos feito várias doações desde que começou a crise, mas agora temos de incrementar. (…) Não vamos parar por aí”, destacou Menin.

Rubens Menin @rubensmenin
 

Temos feito várias doações desde que começou a crise, mas agora temos de incrementar. Hoje a família Menin, a @mrvoficial , o @Bancointer e a @LOGCPoficial autorizamos a compra de respiradores para MG ( carência enorme no estado ) no valor de R$ 10 milhões.

1.612 pessoas estão falando sobre isso

Rafael Menin, presidente da MRV e filho de Rubens, também informou pelo Twitter que a construtura doará R$ 4 milhões dos R$ 10 milhões anunciados. “A @mrvoficial participará desta primeira etapa de doação e de outras tantas que serão necessárias nestas próximas difíceis semanas. Estamos participando de um grande projeto em parceria com o Governo de MG e com a FIEMG. Momento exige ações concretas de todas as lideranças!”, escreveu.

Em média, um respirador novo custa cerca de R$ 120 mil. As fábricas que produzem esse equipamento no Brasil estão com alta demanda e, em parte delas, o prazo de entrega precisou ser estendido nos últimos dias.

respiradores
Fábrica que produz respiradores alerta em site sobre possibilidade de atrasos em entregas (Reprodução/Marca Médica)

A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais divulgou neste domingo novos dados do coronavírus em Minas. Até o momento, o estado tem 83 casos confirmados e 7.190 em investigação. A previsão é que o pico de casos no Brasil ocorra em junho.

 

 

Com BHAZ

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários