Anúncio
Salvamento

Lavras: Menor briga com namorado tenta suicídio PMs entram em "ação e tudo acaba bem

Os PMs, estão preparados para vivenciaram situações diversas sem perder o controle e criar soluções

01/04/2020 22h58Atualizado há 2 meses
Por: Redacao

Policiais Militares , que estão fazendo curso para sargento no 8º BPM, evitaram agora a pouco que uma menor de 12 anos, colocasse fim a própria vida pulando da Ponte Branca. Os dois Policiais Militares, estavam que em patrulhamento pelo local, tiveram sua atenção volta para um grupo de pessoas observando uma menor que ameaçava se atirar da ponte. Ao tomarem conhecimento de toda a situação, que ocorria no local os dois montaram toda a estratégia para evitar que a menor conseguisse por fim a sua vida. Enquanto um, afastava os curiosos e conversava com a menor, o outro aproximou de menor e conseguiu através das grades agarrar ela, enquanto o outro policial militar com uma corda, passou em volta do corpo menor, que não estava mais apoiada no parapeito da ponte, e sim sendo segurada pelo primeiro. Apesar de ter somente 12 anos, a menor tem um corpo bem desenvolvido o que requereu dos policiais militares muita força para segurar ela até a chegada dos Bombeiros Militares. Os Bombeiros, usaram a técnica de rapel para resgatar a menor, que foi encaminhada a UPA para exames. Durante o tempo, que estava sendo socorrida pelos Policiais Militares, a menor disse que resolveu colocar fim a própria vida, depois que brigou com o namorado, sem contudo informar quais os motivos da briga. Registramos que os dois Policiais Militares, como outros que estão por estes dias  operacionais, nas ruas de Lavras garantindo a segurança e paz social , fazem parte do CTSP/2002. Parabéns!!!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários