Segunda, 23 de Maio de 2022
12°

Poucas nuvens

Lavras - MG

Polícia Violência

Monte Sião: Ex-padre é indiciado por violência sexual contra três monges

Além de desencadear o inquérito policial, as reportagens levaram o Papa Francisco a desligar oficialmente Ernani da Igreja Católica

19/01/2022 às 17h44
Por: Redacao
Compartilhe:
Monte Sião: Ex-padre é indiciado por violência sexual contra três monges

A Polícia Civil de Minas Gerais concluiu o inquérito que investigava o ex-padre Ernani Maia dos Reis e o indiciou por cometer violência sexual mediante fraude contra três monges em Monte Sião, no Sul de Minas. A informação foi publicada pelo Portal Uol e confirmada pelo R24.

Os crimes teriam ocorrido entre os anos de 2011 e 2018, quando o então padre comandava o mosteiro Santíssima Trindade, de Monte Sião, que integra a Arquidiocese de Pouso Alegre. Reis nega ter cometido os crimes.

 
As investigações começaram em outubro do ano passado a pedido do Ministério Público, depois que uma série de reportagens do Portal Uol revelou o caso com relatos de diversas testemunhas.Além de desencadear o inquérito policial, as reportagens levaram o Papa Francisco a desligar oficialmente Ernani da Igreja Católica. O anúncio foi feito pela Santa Sé em 1º de outubro de 2021.
 
Ex-padre negou acusações em depoimento
 
As investigações contra o ex-padre foram conduzidas pelo delegado Daniel Leme Amaral, lotado em Monte Sião. Ele interrogou Ernani no dia 7 de dezembro do ano passado. Na oportunidade, o ex-sacerdote negou ter cometido qualquer violência e afirmou que as relações mantidas com os monges eram consentidas.
 
De acordo com a reportagem do Uol, Ernani teria cometido abuso contra 8 monges, que, à época, possuíam idades entre 20 e 43 anos. Outras 11 pessoas teriam sido vítimas de constrangimentos e agressões verbais.
 
Ao concluir o inquérito, porém, o delegado Daniel Leme Amaral encontrou indícios de que o ex-padre cometeu contra três vítimas o crime previsto no artigo 215 do Código Penal brasileiro: “ter conjunção carnal ou praticar outro ato libidinoso com alguém, mediante fraude ou outro meio que impeça ou dificulte a livre manifestação de vontade da vítima.”.
 
A pena prevista é de dois a seis anos de reclusão.O ex-padre ainda não se manifestou quanto ao indiciamento. Seu advogado, João Humberto Alves, disse ao portal Uol que seu cliente “pretende se manifestar apenas nos autos”.
 
Após a conclusão do inquérito policial, o caso é repassado ao Ministério Público estadual. Caberá ao órgão decidir se oferece a denúncia contra o ex-padre à Justiça ou se a arquiva. Caso a denúncia seja oferecida e o Judiciário a aceite, será instaurado uma ação penal, quando Ernani se converteria em réu.
 
 
 
Com Portal R24
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Lavras - MG Atualizado às 21h36 - Fonte: ClimaTempo
12°
Poucas nuvens

Mín. 11° Máx. 22°

Ter 23°C 10°C
Qua 23°C 10°C
Qui 23°C 11°C
Sex 24°C 11°C
Sáb 25°C 11°C
Horóscopo
Áries
Touro
Gêmeos
Câncer
Leão
Virgem
Libra
Escorpião
Sagitário
Capricórnio
Aquário
Peixes