Anúncio
Copasa

Esgoto: Tratamento de esgoto fora de padrões faz Copasa devolver tarifas a usuários

O acordo foi firmado após fiscalizações da Arsae-MG constatarem que as ETEs desses municípios operavam em desacordo com os padrões ambientais de lançamentos de efluentes.

27/06/2020 15h45Atualizado há 2 semanas
Por: Redacao

Mais de R$ 4 milhões serão ressarcidos a 26,1 mil usuários dos serviços de água e esgoto em quatro municípios mineiros: Prudente de Morais e Nova Lima - Estações de Tratamento de Efluentes (ETEs) Vale do Sereno e Jardim Canadá -, na região Central; São João do Paraíso, no Norte de Minas; e Iturama, no Triângulo.

A devolução de tarifas será realizada a partir de julho e é justificada por acordo firmado entre Agência Reguladora de Serviços de Abastecimento de Águae de Esgoto e de Esgotamento Sanitário do Estado de Minas Gerais(Arsae-MG e Copasa,  por meio da Câmara de Prevenção e Resolução Administrativa de Conflitos (CPRAC) da Advogacia -geral do Estado (AGE). 

O acordo foi firmado após fiscalizações da Arsae-MG constatarem que as ETEs desses municípios operavam em desacordo com os padrões ambientais de lançamentos de efluentes.

Diante da prestação inadequada dos serviços, a Copasa foi cobrada a dar uma resposta efetiva aos usuários, devolvendo parte das tarifas referentes ao tratamento de esgotos dos usuários abrangidos pelas estações de tratamento.

Transparência

O diretor- geral da Arsae-MG, Antônio Claret, ressalta que, "neste momento tão difícil pelo qual as famílias brasileiras estão passando, é muito positivo garantir que sejam compensadas e tenham essa devolução de tarifas em suas faturas, aliviando seus orçamentos".

O processo, ainda segundo o gestor, reforça o compromisso da Agência com a população e busca por mais transparência e eficiência nos serviços públicos. "A medida sinaliza para a Copasa a necessidade de prestar serviços de forma eficiente", acrescenta.

Nas ETEs que foram objeto da ação, houve melhorias dos níveis de eficiência no tratamento do esgoto.

O processo de conciliação foi iniciado no fim de 2019 e também envolveu a Procuradoria Jurídica da Agência e as Gerências de Fiscalização Econômica (GFE) e de Fiscalização Operacional (GFO).

 

 

Em Lavras como ficamos?

 

Aqui vivemos um situação absurda. No começo deste mês,  atendendo a um pedido do Ministério Público, por meio da 2º Promotoria de Justiça da Comarca de Lavras, e da Coordenadoria Estadual de Promotorias de Justiça do Meio Ambiente da Bacia do Rio Grande, a justiça condenou a "poderosa" Copasa por poluir o Córrego do Resfriado, que fica na zona sul da cidade. Por outro lado, em Lavras é cobrado a taxa de esgoto "cheia" como se todo o esgoto da cidade fosse coletado e tratado. O vereador Antônio Claret, tem laudos que prova a poluição de ribeirões da cidade por esgoto, e ainda assim a "poderosa" continua  "tirando o couro" dos consumidores cobrando como se todo o esgoto fosse coletado e tratado.Será, que todo o esgoto de Lavras é coletado e tratado? Alguém sabe, onde tem esgoto sendo lançado em ribeirões poluindo o meio ambiente?

 

 

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários