Sábado, 21 de Maio de 2022
14°

Tempo aberto

Lavras - MG

Polícia Falecimento

Denúncia: Motorista da Autotrans, envolvido no acidente de dona casa, teria evadido do local

Este detalhe que o motorista teria evadido do local com o ônibus do acidente era de conhecimento de poucas pessoas. Será porque?

08/05/2022 às 14h00 Atualizada em 09/05/2022 às 05h04
Por: Redacao
Compartilhe:
Denúncia: Motorista da Autotrans, envolvido no acidente de dona casa, teria evadido do local

A morte ocorrida ontem, sábado(07/05),  da dona de casa Luciana Aparecida da Silva, residente na Rua Terezinha Gualberto nº 60, Conjunto Habitacional Cidade Nova, (trabalhava na empresa que cuida da limpeza urbana da cidade, no setor de varrição) vítima das sequelas do acidente de trânsito ocorrido na Rua Rufino Alves da Costa, no Bairro Cohab, no dia 04 de abril.

No acidente consta o envolvimento de uma moto Honda NXR/160 Bros, placa RFR 7J56, conduzida por Sandro Francisco, e o ônibus da Autotrans, Mercedes Benz placa OPZ 4641,que era conduzido por Álvaro Ribeiro Reis. Essas informações iniciais são necessárias, pois muitas pessoas estão indagando, onde? E Quando?

E quem são os envolvidos neste acidente? A dinâmica deste acidente, segundo pessoas que estavam no local é essa: A moto Honda Bros seguia pela Rua Rufino Alves Costa, sentido Praça da Estação, quando próximo à Rua Altamiro Pinto, a moto foi atingida pelo ônibus da Autotrans.

A moto que era conduzida por Sandro Francisco, tinha como passageira Luciana Aparecida, que foi atingida pela lateral traseira do ônibus, que possivelmente derrapou, já que a pista estaria molhada, segundo relatos. Com o impacto da batida, foram lançados ao chão o condutor e a passageira da moto.

O condutor ao ser atendido pelos Bombeiros Militares, apresentava escoriações na mão e no braço esquerdo, ele inclusive se recusou a ser atendido pelos Bombeiros Militares.

Já a passageira da moto, Luciana Aparecida, apresentou uma lesão na perna, que ao ser encaminhada a UPA, para exames mais detalhados constatou-se a necessidade de uma intervenção cirúrgica devido a gravidade das lesões apresentadas.

Um detalhe interessante, foi relatado aos PM's que atenderam a ocorrência, pelo condutor da moto, ele disse, que o motorista do ônibus da Autotrans, evadiu-se do local da ocorrência. Somente parou, quando foi alcançado na altura da Praça Dr. José Esteves.  Porque que ele fugiu? Alguém orientou ele e agir assim? A perícia foi informada deste detalhe?

 

 

Vereador ligou para a familia e disse que dinheiro para pagar a cirúrugia estava liberado! E não estava!

 

Luciana Aparecida, foi levada para a UPA, onde foram feitos os primeiros procedimentos médicos e constatada a necessidade de uma cirúrgia em caráter de urgência.

Agora fica o questionamento: Porque que Luciana Silva, ficou todo esse tempo na UPA sem fazer a cirurgia? Porque então se no local não realiza tal procedimento, não a transferiram para uma unidade que tivesse tal competência? Já que era uma questão de vida ou morte e infelizmente resultou em morte!

Outra questão começa a ser levantada, Porque a "poderosa" Autotrans nunca procurou a família da vítima, nem ao menos para saber como poderia ajudar na recuperação da saúde da funcionária da terceirizada da prefeitura? Ou até mesmo, pagar a cirurgia, que poderia ter salvo a vida dela! Porque o motorista, retirou o ônibus da cena do acidente?

Ele recebeu ordens para agir assim? Uma questão difícil de ser respondida e entendida por todos. A perícia, foi informada disso? Qual o impedimento do Cislav, Prefeitura de Lavras, ou seja qual for o orgão responsável da saúde em liberar a cirurgia?

O vereador e presidente da Câmara Municipal de Lavras, Bira, chegou a ligar para a família da vítima, para informar que a cirúrgia seria paga, que o dinheiro seria liberado pela prefeitura,mas em momento algum o mesmo foi ou ligou na Autorans cobrando da empresa alguma assistência a vítima ou sua família.

A perícia da Policia Civil, esteve no local fazendo os trabalhos de campo. Agora vamos aguardar e ver o que consta neste laudo perícial. O Ministério Público Estadual, sempre atuante em favor da sociedade, deveria investigar desde o momento do acidente na Cohab, até o falecimento dessa dona de casa.

Agumas perguntas precisam de respostas, e assim teremos certeza que as respostas viram, mas principalmente novos casos como este, não venham acontecer,  para infortúnios de famílias e amigos, e vergonha da comunidade lavrense.

 

 

 

 

 

N da R

A todas as pessoas, empresas ou orgãos públicos citadas nesta matéria, automaticamente é garantido o direito da resposta no espaço tamanho e corpo.

 

 

 

 

 
 
 
 
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários