Domingo, 09 de Agosto de 2020
35 99103-0502
Cidades Legislativo

Lavras: DECISÃO DA JUSTIÇA VAI EXPOR TRAPALHADA INTERNA DA CÂMARA

A Câmara terá que dar posse em um cargo que não existe e manter um salário de um servidor que também não existe

22/07/2020 07h31 Atualizada há 3 semanas
Por: Redacao
Lavras: DECISÃO DA JUSTIÇA VAI EXPOR TRAPALHADA INTERNA DA CÂMARA

O Blog Lavras Online, em uma postagem feita hoje quarta-feira(22) traz uma informação importantissima aos eleitores de Lavras.  Essa postagem, relata que uma decisão de ontem terça-feira(21)  da justiça pode trazer desconforto alguns integrantes do legislativo municipal. Abaixo a transcrição da matéria da postagem:

"Uma decisão da justiça publicada ontem, terça feira, vai trazer a tona uma trapalhada feita a 6 mãos no seio da Câmara Municipal, e com viés de desconforto interno.

O filho do vereador Toninho do Raio X, Pedro Nogueira, que por mérito havia passado no concurso da Câmara em 2012 e que estranhamente não havia sido convocado para sua vaga, ganhou na justiça o direito de ocupar a sua merecida vaga de editor de imagens.

Eis que vem a trapalhada.

Baseado em um estranhíssimo papel assinado pela assessoria jurídica, a Câmara, mesmo pagando 80 mil para fazer um estudo para a reforma administrativa, resolveu fazer ela mesmo, internamente, presidida por João Paulo Felizardo e com base em um estudo do Cel. Claret e executado ao final por Mestre Grilo, a tal reforma feita a toque de caixa. Nela, entre vários pontos, cargos foram extintos e outros tiveram redução de salários, o que é inconstitucional.

Para expor tudo isso, a vaga de editor de imagens, a qual a justiça determinou a posse de Pedro Nogueira no prazo de 30 dias, foi extinta. Para piorar, além de extinta, no lugar foi criado um outro cargo com redução de salário, o que, analisando motivos e forma, ofende a constituição, pois não se admite a redução de salários para o cargo levado a efeito por concurso público.

Agora, para sintetizar o imbróglio, a Câmara terá que dar posse em um cargo que não existe e manter um salário de um servidor que também não existe, por força da estranha reforma. É a Câmara de Lavras sendo ela mesma.

 

A Câmara será intimada nos próximos dias sobre a decisão."

 

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.