Terça, 24 de Novembro de 2020
35 99103-0502
Cidades Policia

Patos de Minas: Homem faz "programa" não paga e é obrigado a voltar pra casa pelado

As mulheres da casa filmaram o homem indo embora pelado e caso ganhou grande repercussão

03/11/2020 17h03
Por: Redacao
Patos de Minas: Homem faz

Um programa sexual em uma casa de encontros em Patos de Minas virou caso de polícia. O cliente não tinha dinheiro para pagar a conta e foi obrigado a ir embora pelado. Ele foi encontrado por uma viatura da Polícia Militar caminhando pela avenida J.K, cobrindo as partes íntimas apenas com uma toalha de rosto. As mulheres da casa filmaram o homem indo embora pelado e caso ganhou grande repercussão.  

O caso aconteceu na noite de domingo (01). Ao ser abordado seminu na avenida J.K por volta de 23h, o homem de 23 anos informou que, após um programa sexual em uma casa de prostituição no bairro Jardim Paulistano, foi agredido e obrigado a ir embora pelado. Os policiais foram até a casa na rua Aleixo Pereira para verificar o caso. 

Uma mulher de 24 anos disse aos policiais que o homem fez dois programas e consumiu bebidas alcóolicas que totalizaram R$ 850,00. Segundo ela, na hora de pagar a conta, ele deu um tapa em seu rosto e saiu correndo. O homem, que é pintor de autos, foi alcançado, agredido e obrigado a tirar as roupas. 

A mulher que se apresentou como responsável pela casa informou aos policiais que não sabia onde estavam as roupas do pintor. Um vídeo feito dentro da casa, no entanto, mostra que as vestes do rapaz foram queimadas.  As imagens mostram o pintor saindo do local completamente nu. 

 

Ele foi conduzido para a delegacia por ter deixado de pagar a conta. Uma mulher de 24 anos foi presa por agredir o pintor e outra mulher de 34 anos foi levada para a Delegacia de Plantão por ter mentido a identidade para os policiais.

 

Com Portal Patos Hoje

 

 

 

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.