Terça, 26 de Janeiro de 2021
35 99103-0502
Cidades Vacinação

Zema sanciona lei que assegura vacinação gratuita contra o coronavírus

De acordo com a lei 23.787, publicada no DOE (Diário Oficial do Estado) nesta sexta-feira (8), os idosos, profissionais de saúde, quilombolas, indígenas, acautelados, servidores públicos que tenham contato com o povo e outros grupos de risco terão prioridade na vacinação

08/01/2021 10h46
Por: Redacao
Zema sanciona lei que assegura vacinação gratuita contra o coronavírus

O governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), sancionou a lei que garante o acesso da população mineira à vacina contra o novo coronavírus. O imunizante será gratuito e facultativo, ou seja, a pessoa não será obrigada a tomá-lo. A imunização vai começar quando houver aprovação por parte da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). Minas tem 571.657 casos confirmados e 12.366 mortes.

De acordo com a lei 23.787, publicada no DOE (Diário Oficial do Estado) nesta sexta-feira (8), os idosos, profissionais de saúde, quilombolas, indígenas, acautelados, servidores públicos que tenham contato com o povo e outros grupos de risco terão prioridade na vacinação. O Governo de Minas vai incluir o imunizante contra a Covid-19 no calendário de vacinação do programa estadual.

Apesar da população ter o acesso garantido, a vacina não será obrigatória. Desta forma, caberá ao cidadão escolher se vai desejar ou não se imunizar contra o novo coronavírus que já matou mais de 200 mil pessoas em todo o Brasil. O governo do estado já adquiriu 50 milhões de seringas para agilizar o processo de vacinação. A SES-MG (Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais) disse que mais de 19 milhões já estão em território mineiro.

Lei foi publicada no Diário Oficial do Estado (Reprodução/DOE)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Vacina próxima

A Coronavac, imunizante desenvolvido pelo Instituto Butantan e a farmacêutica chinesa Sinovac, teve uma eficácia de 78% em casos leves da doença. Já os casos moderados e mortes foram completamente evitados. O instituto apresentou os dados à Anvisa e solicitou o registro emergencial da vacina. O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, disse que um contrato foi assinado para comprar 100 milhões de dose.

 

 

Com BHAZ

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.